Novidades Saúde

Vibrar com Parkinson

Em abril comemorou-se o Dia mundial da Doença de Parkinson. De acordo com a Organização Mundial de Saúde ( OMS) , a doença afeta 1% da população mundial, cerca de cinco milhões de pessoas. A estimativa é que no Brasil afete 0,3% da população, cerca de 600 mil pessoas.

Mesmo a doença sendo a segunda doença neurodegenerativa em número de casos, (ficando atrás somente do Alzheimer) no Brasil, a doença ainda é relacionada apenas a idosos. Dados publicados em revistas cientificas, indicam que cerca de 10% dos diagnósticos são em pessoas com idade inferior a 45 anos (Parkinson de ínício Precoce ou Parkinson jovem).

Por falta de informação da doença em pessoas mais jovens , foi criado em 2014, o projeto Vibrar Parkinson idealizado pela cientista e pesquisadora Danielle ianzer. O projeto tem como principal objetivo auxiliar pacientes, familiares e cuidadores na manutenção do bem-estar e da qualidade de vida, através de divulgação e difusão de informações sobre a doença, tratamentos, entre outros.

Aos 36 anos, Danielle recebeu o diagnóstico de Parkinson. A cientista começou a perceber os sintomas motores quando tinha 30 anos. Nesse período de seis anos, foram várias visitas a diferentes médicos, muitos exames e alguns diagnósticos errados, até que o quinto neurologista identificou a doença de Parkinson. Pelo fato do Parkinson ser degenerativa, a demora no diagnostico favorece a evolução da doença e prejudica a qualidade de vida do paciente. Por essa razão é tão importante a informação.

O site do projeto www.vibrarcomparkinson.com tem informações sobre a doença.  alem das redes sociais e o canal no youtube. O projeto também realiza Palestras e seminários com a participação de profissionais especializados no tratamento da doença de Parkinson, destinados a pacientes, familiares e cuidadores.

A doença foi descoberta por Dr. James Parkinson em 1817, sendo chamada de Paralisia agitante. Anos após a morte de James Parkinson, o neurologista Jean-Martin Charcot homenageou o médico, sugerindo o nome de Doença de Parkinson. A tulipa foi definida como simbolo da doença de Parkinson, porque um floricultor holandes, como homenagem, nomeou de Dr. James Parkinson uma nova variedade de tulipa vermelha.

A doença pode causar diversos sinais e sintomas, os quatro principais sintomas importantes para definir o diagnóstico são: Lentidão, Tremores, Rigidez e alteração postural. Ainda sem cura, a doença pode ser tratada com diferentes abordagens que incluem: medicamentos, cirurgia, terapias, atividade física.