Bem Estar Cultura

Vale Solidariedade ajuda famílias que sofrem com a redução do auxílio emergencial

Promovida pela empresa social Youngers, a iniciativa já movimentou cerca de R$60 mil, beneficiando mais de 600 famílias de Curitiba e região metropolitana

Desde abril do ano passado, famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social têm recebido o Auxílio Emergencial do Governo Federal. Em julho de 2020, o efeito do benefício atingiu seu auge, reduzindo a pobreza do país em 20,3%, segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua e da Pnad Covid-19 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Infelizmente, com a falta do auxílio nos meses de janeiro a março deste ano e a redução de R$600 para R$250 a partir de abril, o cenário voltou a ficar caótico. Além da diminuição do valor e do número de beneficiários – que caiu de 68,2 milhões de pessoas em 2020, para 45,6 milhões de famílias em 2021 – o saque do auxílio está limitado apenas a quem já recebeu o auxílio em 2020. Ou seja, quem perder a renda neste ano, não estará apto a receber a ajuda.

Desta forma, a sociedade civil também precisou encontrar formas de ajudar estas famílias e fazer com que mantivessem sua dignidade, mesmo durante este período difícil. Foi assim que surgiu o Vale Solidariedade, iniciativa da empresa social Youngers (Y), que atua na região da Vila Torres, uma das comunidades mais afetadas pela falta de renda na pandemia. A distribuição dos vales começou em 2020, mas continua com ainda mais força em 2021.

Escolhendo o que pôr à mesa

Funciona assim: as famílias fazem um cadastro no site da Y e, após a confirmação dos dados, recebem um vale compras no valor de R$100, que pode ser utilizado em mercados parceiros do projeto. A Youngers, além de acompanhar as compras, também é responsável por todo o pagamento, bastando ao beneficiário apenas escolher o que vai levar pra casa, entre alimentos e produtos de limpeza e higiene.

Atualmente, existem apenas dois mercados parceiros do projeto, ambos em Curitiba: o mercado Paranaense e o Medeiros, localizados na Vila Torres e no Ganchinho, respectivamente. Apesar disso, a iniciativa também contempla famílias das regiões de Colombo e Fazenda Rio Grande, aumentando a necessidade de novos parceiros. “Nosso objetivo é conquistar a confiança de outros comércios, ampliando o alcance e a distribuição dos vales e gerando mais renda aos pequenos comércios que também têm sentido o impacto negativo da pandemia e da redução do auxílio emergencial”, explica Karoline da Silva, coordenadora do projeto.

Ajude sem sair de casa

Apesar da boa notícia do calendário de vacinação contra a COVID 19 em Curitiba, divulgado dia16 de junho, a cidade ainda está em bandeira laranja, por isso, é muito importante ficar em casa sempre que possível. Assim, quem quiser ajudar, pode fazer sua doação online, com segurança e praticidade, transferindo qualquer valor via PIX, ou doando acima de R$25 pela plataforma PagSeguro.

A cada R$ 1,5 mil arrecadados se inicia mais uma rodada de distribuição, com dez famílias beneficiadas a cada rodada. Os doadores têm acesso à prestação de contas da iniciativa no site da Youngers e podem solicitar nota fiscal da doação, que é enviada em até três dias úteis.