Esporte

Tóquio 2020: além do desempenho esportivo, Olimpíada de Tóquio marcou uma explosão nas redes sociais

Tóquio 2020: O adiamento para 2021 e a completa falta de público nos ginásios e arenas davam um ar um pouco nebuloso sobre como seria a Olimpíada de Tóquio, mas passados os quinze dias da maior competição esportiva do mundo, o que se viu foi uma explosão nas redes sociais e principalmente o fortalecimento dessas plataformas para engajar e aproximar o público – mesmo que tão distante fisicamente – dos atletas. Novos ídolos surgiram, esportes estreantes no universo olímpico e perfis despontaram com destaque nas últimas semanas.

Pensando nisso, a Winnin, uma martech que empodera a criatividade por meio da ciência de dados, mapeando a cultura nas redes através da inteligência artificial, realizou um levantamento que mostra o crescimento nos perfis de alguns atletas da delegação brasileira, principalmente Douglas Silva e Rayssa Leal.

Tóquio 2020: Levantamento da Winnin mostra o crescimento nos perfis de atletas que fizeram sucesso, utilizando as redes para se aproximar do público

O ponteiro da seleção brasileira de vôlei fez sucesso na internet graças ao engajamento nos stories do Instagram, que traziam muito conteúdo focado em três assuntos altamente relevantes para o público brasileiro na internet: esporte, bastidores e reality show. Usando e abusando desse tripé, os números do atleta decolaram: aumento de 1261.4% no seu números de seguidores no Instagram e crescimento de 2464.7% no números de likes.

.

E não parou por aí, além da sua página pessoal, o sucesso de Douglas também foi positivo para a Confederação Brasileira de Voleibol, que teve um aumento de 42.2% na base de seguidores do Instagram e 13.5% de aumento no número de likes das publicações.

Já quando o assunto é skate, Rayssa Leal assume o topo do pódio. A “Fadinha” teve um um aumento de 3.6% de seguidores no seu perfil do Instagram. Antes das Olimpíadas, no começo de julho, ela tinha aproximadamente 628 mil seguidores e, hoje, ela já bateu a marca de 6,7 milhões, o que significa um crescimento de cerca de 850% em apenas um mês.

Um único vídeo que a atleta de 13 anos postou no dia 25 de julho foi o oitavo vídeo com maior número de likes no mundo, com 2.4 milhões de likes e mais de 41 mil comentários.

E mais do que o perfil pessoal da skatista, o destaque que as Olimpíadas trouxe para o esporte impactou o tema como um todo. Segundo o Winnin Insights, software da Winnin, a audiência geral do tópico de Skate é 35% feminina e 65% masculina. Porém, no que se refere ao público mais jovem (13-17), percebe-se um equilíbrio no interesse da audiência.

Se esportivamente o Brasil teve o melhor desempenho na história dos Jogos Olímpicos, Tóquio 2020 também ficará como um marco no desempenho dos atletas nas redes sociais. E que venha Paris 2024!

Confira também: Tóquio 2020: Os Jogos Olímpicos Mais Desafiadores E Calculados Da História