Educação Mundo Empresarial

Park Idiomas é agora Park Education, uma edtech que amplia leque de cursos para formar alunos mais competitivos no mercado

Temas como desenvoltura em entrevista de emprego, liderança, marketing e oratória serão explorados em novos cursos interdisciplinares da rede

Com mais de 20 anos de expertise no ensino de inglês e espanhol, a última releitura sobre o futuro do mercado de trabalho trouxe uma nova realidade: para ter sucesso em um mundo globalizado, os profissionais precisarão de conhecimentos que vão além do domínio de uma segunda língua. Além de ser bilíngue, o profissional que entra no mercado de trabalho precisa desenvolver habilidades que até então não eram tão requisitadas.

Para proporcionar uma solução para estas pessoas, a rede passa, agora, a adotar o nome Park Education e ter como premissa se tornar uma plataforma de educação que oferece cursos bilíngues e interdisciplinares, incluindo inovação e tecnologia, empreendedorismo e marketing. Deixa, assim, de ser uma escola de idiomas para se tornar uma edtech, com forte presença online, cujo foco é tornar seus alunos protagonistas na era pós digital.

.

Para Eduardo Pacheco, CEO e Co-Founder da Park Education, esse processo já vem sendo construído ao longo do tempo. “Investimos em atualizações e inovações de cunho tecnológico, no material didático, em processos e na arquitetura dos ambientes para que estimulem o aluno a, de fato, aprender e absorver o conteúdo de maneira mais eficaz”, comenta o executivo. “Através dos nossos cursos interdisciplinares e bilíngues, o aluno desenvolve soft skills fundamentais para o seu sucesso e o preparamos, independentemente de qual fase da vida esteja, para que seja competitivo no mercado de trabalho”, completa Eduardo. 

O programa educacional Park Work contempla, através de cursos bilíngues, temas como crescimento de carreira, tecnologia, empreendedorismo e gestão de negócios e tem por objetivo desenvolver habilidades como oratória e liderança, saber falar bem em uma entrevista de emprego, ou ainda a tomar decisões acertadas em sua vida profissional, além de assegurar a evolução comportamental e emocional necessária para alavancar seus resultados. Segundo o World Economic Forum, 95% dos profissionais atuantes em empresas do Fortune 500 passaram a se capacitar em competências que não conheciam antes, como em habilidades socioemocionais, por exemplo.