O risco do consumo da água com limão para os dentes
Novidades Saúde

O risco do consumo da água com limão para os dentes

Tem sido cada vez mais comum a procura por atitudes aliadas à saúde. Mas nem tudo que aparenta ser benéfico, realmente faz bem. Um hábito muito simples como a ingestão de água com limão pode, por exemplo, colocar a dentição em risco. O alerta vem de uma pesquisa científica publicada em fevereiro no British Dental Journal, na qual estudiosos da Universidade King’s College London, na Inglaterra, decidiram investigar o que levava certas pessoas a apresentarem a erosão dentária, ou desgaste do esmalte do dente, com mais facilidade do que outras.

Nesse estudo, foram avaliadas pessoas com corrosão severa nos dentes e outros que não apresentavam o problema bucal. Uma das constatações foi que os voluntários que tomavam bebidas ácidas como refrigerantes, água com limão e chás cítricos duas vezes ao dia entre as refeições tinham um risco 11 vezes maior de apresentar a erosão. A probabilidade caía pela metade quando os líquidos eram consumidos junto com a comida. Por isso mesmo a doutora Stephanie Gomes Assunção Alves, profissional da Ki Odontologia, esclarece algumas dúvidas:

Cada vez mais se fala de água com limão para a saúde, mas esta nova rotina pode afetar os dentes de alguma maneira negativa?

Sim, por ser ácido, a ingestão da água com limão com frequência pode causar a erosão dentária que é o resultado da perda progressiva de elementos constituintes do dente, como o esmalte dentário.

Quais outros hábitos podem afetar o esmalte dentário?

 Hábitos comuns como refluxo gástrico; bebidas ácidas como, por exemplo, álcool, refrigerantes à base de cola, concentrados, chás de frutas, isotônicos e até mesmo o consumo de vinagre de maçã em jejum (outro hábito difundido para a perda de peso). Além dos jejuns intermitentes que aumentam a quantidade de suco gástrico no estômago, regime que tem ganhado força atualmente. Vale citar ainda a utilização de cremes dentais muito abrasivos associados a uma dieta ácida.

 O que mais pode afetar a dentição e causar sensibilidade dentária?

 A erosão dentária e hipersensibilidade dentinária, que podem estar associadas, uma vez que a primeira pode ser a causa da segunda. Com o desgaste do esmalte dentário há exposição da dentina, havendo sensibilidade. Devido ao aumento das queixas e sintomatologia relatadas pelos pacientes nesta região próxima à gengiva, chamada de cervical, foi desenvolvido um protocolo de tratamento para esses casos, que é o “protocolo para lesões cervicais não cariosas” que visa remover a sensibilidade da região afetada e proteção da mesma.

Flúor e creme dental existem alguma restrição? Como saber qual escolher?

Cada caso e paciente tem uma indicação específica, mas no geral o creme dental ideal precisa conter flúor e não ser muito abrasivo. Quanto à utilização de creme dental para a prevenção de erosão dentária e hipersensibilidade dentinária, estudos comprovam que nenhum é capaz de preveni-las e que ele sozinho não é capaz de solucionar o problema completamente.

Qual a maneira mais correta de limpeza dentária após consumir algo ácido?

 A maneira mais correta para higienização após consumo de alimentos ou bebidas ácidas seria realizar bochecho com água a fim de reduzir a acidez e na sequência realizar escovação. Se for possível, aguardar 30 minutos para realizar a escovação uma vez que o pH bucal está ácido após o consumo e essa acidez seria espalhada na superfície dentária. Esses 30 minutos são o tempo que a saliva leva para neutralizar o pH bucal. Em alguns momentos não é possível a higienização após o consumo desses alimentos, sendo indicado a ingestão de algo alcalino para recuperar o pH mais rapidamente, como: leite puro, maçã ou até mesmo água.

Apenas o ácido acaba com o esmalte?

Não. Alguns hábitos também podem desgastar o esmalte dentário, como: hábitos parafuncionais (apertamento, bruxismo, onicofagia), o consumo de algumas substâncias ilícitas, medicamentos corrosivos, nutrição esportiva e doenças gástricas (refluxo gástrico).

E os refrigerantes realmente fazem mal?

Sim, além de conter muito açúcar, contém elevada quantidade de ácido fosfórico impedindo a absorção de cálcio necessário para todo o corpo humano. O consumo em exagero associado à escovação inadequada e a hábitos parafuncionais favorecem a perda dentária.

E como prevenir a erosão dentária?

 Através de cuidados com a alimentação, higiene bucal com creme dental com flúor, acompanhamento odontológico para controle e prevenção, e em casos em que está associado a problemas gástricos é necessário acompanhamento com um médico especializado.

Como funciona a avaliação e acompanhamento dos desgastes dentários através do scanner intra-oral, que permite um acompanhamento em imagens virtuais desse paciente na Clínica Conceito Ki?

 Através de um scanner intra-oral é realizado um escaneamento tanto da arcada superior quanto inferior do paciente para prevenção, avaliação e monitoramento desses desgastes, com isso, nas consultas de acompanhamento é possível avaliar a progressão ou estabilização dessas lesões através de softwares específicos.

A higiene bucal e dieta estão intimamente ligadas para evitar esse problema, por isso visitas regulares ao dentista tem grande importância para prevenção, avaliação e acompanhamento.  Afinal um belo sorriso também significa uma saúde equilibrada.

Stephanie Gomes Assunção Alves

Graduada pela UFPR (Universidade Federal do Paraná). Atualmente atua como cirurgiã-dentista na Clínica Conceito Ki by Hirata e Higashi em Curitiba, Paraná. Monitora no curso de especialização em dentística; no curso de atualização em estética avançada; no curso de intensivo de lentes de contato e restaurações estéticas metal free; e no curso de escultura dental com resinas compostas em dentes anteriores e posteriores, realizados na Faculdade Ilapeo.