Novidades

Novembro Azul alerta sobre saúde do homem

O câncer de próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens brasileiros, com cerca de 68 mil novos casos e 13 mil mortes por ano, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer). As estatísticas apontam que o câncer de próstata mata um homem a cada 15 minutos.

O preconceito dos homens relacionado aos exames preventivos ainda é uma barreira para o diagnóstico precoce de problemas da próstata, explica o médico urologista Dr. Osni Silvestri, do Hospital VITA, em Curitiba.

Dados do Ministério da Saúde indicam que mais de um terço dos homens não cuidam da própria saúde. Além disso, pesquisa recente revelou que 59% dos homens não costumam manter consultas periódicas.

Segundo Dr. Osni, é preciso mudar o comportamento dos homens em torno do hábito de consultar um médico e realizar exames para o diagnóstico precoce do câncer de próstata. “Procurar um médico somente quando se está com algum sintoma, pode levar, muitas vezes, a um diagnóstico tardio, além de dificultar o tratamento”, alerta o urologista.

O especialista explica que se identificado na fase inicial, isto é, quando não são apresentados sintomas claros, o tratamento do câncer de próstata é mais simples e com grande probabilidade de cura. Alguns desses tumores podem crescer rapidamente, espalhar-se para outros órgãos e levar à morte. “A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta que não chega a dar sinais”, ressalta o médico.

Dr. Osni explica que a doença também é considerada um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% das ocorrências no mundo aparecem a partir dos 65 anos. Porém, o médico alerta que é recomendado que se inicie a realização anual de exame aos 50 anos e, se o homem tiver histórico de câncer de próstata na família, o acompanhamento deve iniciar a partir dos 45 anos. Um homem cujo pai ou tio tiveram câncer de próstata tem o dobro de risco de desenvolver a doença. Esse risco torna-se maior ainda para os homens que têm um irmão com o problema. Se o paciente tiver menos de 65 anos e um parente com a neoplasia, a probabilidade aumenta de 6 a 11 vezes.

Doenças do homem

Além do câncer de próstata, Dr. Osni esclarece que as doenças que acometem a população masculina com mais frequência são a hiperplasia prostática (aumento da próstata), a litíase urinária (pedras nos rins) e a impotência sexual.

Diagnóstico

Para detectar essas alterações, são recomendados alguns exames: PSA (antígeno prostático específico), função renal, glicemia, exame de urina e dosagens hormonais, os quais devem ser feitos uma vez por ano. A proteção contra essas anomalias passa por hábitos de vida saudáveis como alimentação equilibrada, não fumar e praticar atividades físicas. “Estas atitudes contribuem para a melhoria da saúde e prevenção de doenças”, complementa Dr. Osni.