Novidades

Mulheres ganham voz no Welcome Tomorrow 19 e mostram o que o futuro pode trazer de conquistas em temas delicados

Ana Paula Padrão mediará bate-papo com mulheres que vão contar suas experiências sobre transhumanismo, transformação, pioneirismo, diversidade e preconceito

Como serão a comida e a roupa do futuro? Teremos chips implantados em nossos corpos e cérebros? Será que não precisaremos mais definir nosso gênero? O trabalho será opcional? O futuro já começou e precisamos falar sobre isso! Diante desses questionamentos, a jornalista e apresentadora Ana Paula Padrão mediará o evento “Mulheres do Amanhã”, no dia 07 de novembro das 13 às 19h, durante a 7ª edição do Welcome Tomorrow 19.

Com curadoria da apresentadora, o evento vai apoiar e promover o espírito de liderança feminina com histórias reais e inspiradoras de mulheres de todos os tipos que irão construir um diálogo para incentivar o empreendedorismo e as lutas diárias por direitos igualitários.

Transhumanismo e transformação

Para contar suas experiências, a pesquisadora e pensadora, Ligia Zotini, revela que tem um chip implantado na mão. Já a escritora e consultora Paula Pfeifer tem dois ouvidos biônicos (implantes cocleares) e criou a campanha “Surdos que Ouvem”. As histórias contadas por elas darão um novo olhar para o dia de amanhã.

A empresária Gabriela Onofre é apaixonada pelas transformações digitais e abordará questões sobre “o futuro para mais perto de nós”. Outra convidada é a presidente da empresa de Tecnologia da Informação SAP, Cristina Palmaka, focada em inovação, mostrará uma ferramenta que identifica comportamentos que possam ser sinais da Síndrome de Burnout nos colaboradores.

Ditando Moda e Cozinha de Afeto

Marina Colerato apoia empresas na busca pela sustentabilidade e vai mostrar a sua trajetória nesse mercado. A reconhecida stylist e editora de moda, Yasmine Sterea, conta como virou a própria mesa e criou o FreeFree, metodologia de elevação da autoestima por meio da vestimenta.

Oferecer cursos gratuitos para pessoas em situação de vulnerabilidade social é o projeto da chef de cozinha Paola Carosella. No bate-papo, ela vai contar que também está à frente do projeto Cozinha e Voz, em parceria com a ONU e a OIT, que capacita travestis, mulheres e homens transexuais para serem assistentes de cozinha.

Pioneirismo no Automobilismo

Bia Figueiredo foi a primeira brasileira a correr em uma categoria top do automobilismo mundial, a Fórmula Indy. Com presença na temporada 2019 da Stock Car, ela também foi a primeira mulher do mundo a vencer na Firestone Indy Lights, e a única a vencer na Fórmula Renault e conquistar a pole position na Fórmula 3.

Diversidade sem Preconceito

Paula Beatriz de Souza Cruz, 48 anos, é mulher transexual, negra, pedagoga, pós-graduada em Gestão Educacional pela UNICAMP/SP e pós-graduada em Docência no Ensino Superior pela Universidade Estácio de Sá. Ela revela que quando era diretora de uma escola pública em São Paulo, foi uma das condutoras da campanha pela inclusão de nome social de alunos (as) transexuais e travestis em listas de chamada e diários de classe.

A psicopedagoga Dagmar Riveri, fundadora da Casa do Zezinho, instituição que oferece formação completa a crianças em situação de vulnerabilidade na zona sul de SP, é uma mulher que pensa muitos anos à frente do seu tempo. Carinhosamente é chamada de Tia Dag pelos estudantes.

A militante de Direitos Humanos, Maitê Schneider, também embaixadora da RME, maior rede de empreendedorismo feminino no Brasil, é co-fundadora do projeto TRANSEMPREGOS, que já empregou milhares de pessoas trans no mercado de trabalho formal. “É preciso buscar o debate de ideias para criar um mundo mais igualitário”, comenta Maitê que marca presença no bate-papo Sem Preconceito.