Mundo Empresarial Novidades

Índice de empregabilidade aumenta para profissionais que percebem e se adaptam às mudanças do ambiente corporativo

Os profissionais que têm curiosidade em saber se estão acompanhando as tendências do mercado de trabalho podem fazer uma reflexão prévia ao se olhar no espelho. Hoje, as principais oportunidades buscam um trabalhador que apresente uma mentalidade moderna e aberta às novidades, que está atento ao seu tempo e imprime isso em seu jeito de ser e vestir, inclusive no dia a dia corporativo. É o que a mentora de carreiras Paula Boarin explica se tratar do “zeitgeist profissional” – palavra de origem alemã e que define “o espírito da época”.

“É o padrão profissional que o mercado está buscando no momento. Diferentemente de alguns anos, quando se buscava profissionais com posturas e atitudes mais seniores, hoje a expectativa da maioria das empresas é a de ter em suas equipes – e inclusive em cargos de liderança – um trabalhador com perfil inovador, moderno, adepto de uma linguagem mais informal inclusive em sua apresentação pessoal”, observa Paula, referindo-se à mudança no padrão de contratação nas empresas.

Paula Boarin

A mentora de carreiras destaca a importância de estar atento a essas mudanças para manter o nível de empregabilidade em alta. Mas ela enfatiza uma mudança de cenário inclusive na forma como as oportunidades profissionais estão surgindo. “Os empregos formais estão diminuindo e a configuração do trabalho é outra atualmente, com o crescimento da procura por profissionais e consultores que prestam serviços para diversas empresas”, explica.

ESTATÍSTICAS

Dados divulgados no final de janeiro pelo IBGE mostraram que o ano de 2019 fechou com o desemprego caindo para 11%, menor número desde 2016. Em contrapartida, o mercado informal atingiu 41,1% no mesmo período, enquanto o índice de trabalhadores autônomos cresceu 5,1% em relação a 2018. “Mais do que uma recuperação na economia, esses números reforçam esse novo “zeitgeist profissional”, ressalta a mentora de carreiras.

“Sempre haverá espaço e vagas nesse mercado. O que muda é aquilo que atraía as organizações, o perfil do profissional, as habilidades que uma empresa busca e a forma como essas questões impactam na oferta e demanda de trabalho”, afirma Paula. Segundo a especialista, é cada vez mais raro encontrar profissionais que queiram fazer história em uma única organização.

Essa mudança se deve à necessidade de adaptação tanto ao cenário econômico quanto às transformações das tecnologias. Esse contexto, afirma Paula, cria uma espécie de “sex appeal” ou atração para as organizações e o profissional cobiçado da vez é aquele que está atento às novas formas de comunicação, que se adapta com facilidade e está sempre aprendendo.

TRANSFORMAÇÕES CORPORATIVAS

Essa nova moda vem transformando, inclusive, o dia a dia das empresas. Uma das tendências que vem aparecendo nos últimos anos, por exemplo, é a mudança de fronteiras do espaço de trabalho. O escritório hoje em dia é onde o profissional quiser e a CLT já até reconhece a modalidade de home office.

Paula Boarin explica que de tempos em tempos existem as características “in” (dentro em inglês) e “out” (fora em inglês) tanto nas empresas quanto para quem busca oportunidades de trabalho. “O mercado de trabalho também é influenciado pelas tendências. As redes sociais são um exemplo daquilo que está em alta atualmente. Não adianta o profissional se recusar a entrar nesse mundo e manter um olhar tradicional”, salienta a mentora de carreiras.