Mundo Empresarial Novidades

Empresa investe na cultura corporativa para reter talentos

Para atrair e manter os profissionais de TI, a Bitzen Tecnologia oferece sessões de massoterapia e momentos de descontração em equipe

Permitir ao colaborador definir o seu próprio horário de entrada ou saída da empresa, dar uma pausa no trabalho para jogar videogame com os colegas ou para fazer uma sessão de massoterapia não é mais uma exclusividade das empresas moderninhas do Vale do Silício. Na Bitzen Tecnologia, essas são algumas das ferramentas que a empresa implantou para promover um ambiente saudável e feliz entre os trabalhadores.

Ao contrário de outras áreas da economia, no setor de tecnologia e inovação a oferta de vagas costuma ser superior ao número de profissionais disponíveis no mercado. Em um levantamento de todos os setores, o Brasil fechou 2019 com uma taxa média de desemprego de 11,9%. Já para os cargos de TI essa taxa é praticamente inexistente. “É aí que a empresa precisa se destacar para atrair e reter os bons profissionais”, pontua Miguel Mendes, diretor comercial da Bitzen.

Miguel Mendes,
diretor comercial da Bitzen

Sediada em Maringá, no Norte do Paraná, a Bitzen Tecnologia desenvolve aplicativos, softwares e sistemas web para clientes no Brasil e no exterior. A empresa integra um grupo local que está impondo um novo perfil à cidade, buscado se consolidar como o “Vale do Silício Brasileiro”. São mais de 400 empresas de TI que, em conjunto, faturam mais de R$ 1 bilhão por ano, gerando empregos e renda para a cidade. “Bons salários e plano de saúde não são mais suficientes para o colaborador permanecer na empresa. Ele busca um trabalho onde possa crescer na carreira sem abrir mão da vida pessoal e dos momentos de descontração”, salienta o diretor.

A fórmula vem dando certo e um dos aliados, revela Mendes, é a própria qualidade de vida oferecida na cidade. Maringá foi eleita por duas vezes consecutivas como a melhor cidade brasileira para se viver, segundo levantamento da consultoria Macroplan com base em índices de educação, saúde e segurança pública. Com pouco mais de 400 mil habitantes e uma ampla rede de serviços públicos e privados, apresenta ao morador as vantagens de um grande polo urbano, sem deixar de lado a tranquilidade de uma cidade de menor porte.

Lucas Mateus Nakasima Soares, 20 anos, atua na área Desenvolvimento da Bitzen desde setembro de 2019, depois de passar por uma grande empresa de tecnologia de Maringá. Nem a tradição ou a aparente estabilidade de uma corporação consolidada no mercado foram atrativos suficientes para manter o colaborador. Segundo ele, o ambiente na antiga empresa não estimulava o trabalho em equipe e, para piorar, ele percebia poucas chances de crescimento profissional. “A impressão que eu tinha é a de que era cada um por si lá dentro”, comenta.

O profissional percebe o crescimento e fortalecimento do mercado de tecnologia em Maringá, motivos que, segundo ele, são estímulos para se estabelecer na carreira e crescer junto com a cidade. “Nessa profissão, para as coisas darem certo não dá para só pensar na parte financeira. É necessário estar em um local que te motiva e te dá vontade de fazer parte da equipe”, enfatiza.

O caso de Lucas não é um exemplo isolado na Bitzen. Com uma equipe com idade média de 25 anos, Mendes destaca a importância de a empresa acompanhar as demandas dessa geração. “São integrantes da geração Y e até Z que buscam aprender constantemente e que dão muito valor a um ambiente corporativo que permita esse crescimento profissional e pessoal”, explica o diretor. Além de plano de cargos e salários, os colaboradores têm incentivos financeiros para realizar cursos de qualificação, sessões semanais de quick massage, torneio interno de games, além da liberdade de definir o horário de entrada e de saída.