Coaching Mundo Empresarial

Comunicação verbal, escrita e gestual: soft skill essencial para a progressão na carreira

Com o objetivo de auxiliar na ampliação das capacidades técnicas e comportamentais dos profissionais, o Laboratório de Desenvolvimento Humano da FAE Centro Universitário (DHLab) inicia no dia 6 de abril o curso “Comunique-se”

Saber se comunicar de forma concisa e correta pode auxiliar na realização mais harmoniosa das práticas profissionais e, sobretudo, agregar valor à carreira. A comunicação, seja ela verbal, escrita ou gestual, é uma das soft skills mais valorizadas hoje no mercado de trabalho.  Essa é a premissa do Bloco 2 do curso “Comunique-se”, que será realizado pelo Laboratório de Desenvolvimento Humano (DHLab) da FAE Centro Universitário. O Bloco foi dividido em dois módulos: o primeiro será nos dias 6 e 8 de abril, e o segundo, nos dias 13 e 15 de abril.

Um dos objetivos do DHLab é trazer subsídios aos estudantes para alavancar a carreira ou mesmo para os recém-formados que estão começando a trilhar seus caminhos profissionais. E a dificuldade na comunicação, nas suas mais variadas formas, é um dos grandes empecilhos hoje para a progressão profissional: razão pela qual o curso “Comunique-se” foi criado.

Uma das professoras do curso, a coordenadora do Núcleo de Relações Internacionais da FAE, Areta Galat, explica que a comunicação mais assertiva possível com colegas de trabalho, superiores ou subordinados é essencial para o desenvolvimento da carreira. “Falar de uma forma calma, segura e correta é muito valorizado nos dias de hoje. A tendência é sempre mudarmos a maneira de nos comunicar conforme o público, e adequar essas diversas maneiras de comunicação é importante”, orienta a professora, que leciona disciplinas no Programa Global Experience da FAE.

O DHLab tem o objetivo de auxiliar o profissional na ampliação de suas habilidades, não somente as técnicas, mas essencialmente as comportamentais. “Hoje o estudante desenvolve bem suas habilidades técnicas, mas muitas vezes é preciso agregar outras habilidades, e uma das soft skills mais requisitadas é a comunicação”, explica Areta.

A professora avalia que a dificuldade na comunicação se agravou nos últimos anos com o avanço da tecnologia. Apesar das facilidades que a tecnologia oferece, há uma linha tênue entre o repasse de informações concisas e corretas e os erros que advêm da rapidez e da objetividade. Nas redes sociais, por exemplo, a forma de se comunicar tornou-se muito peculiar, com a inserção de emoticons, gifs e outros recursos que minimizam a escrita formal.

Outro problema apontado pela professora em relação à dificuldade na comunicação é a postura do profissional. “Estamos adotando posturas mais relaxadas”, comenta. Em uma palestra, na sala de trabalho, no corredor do cafezinho: como as pessoas devem se comportar? Essa e outras respostas o DHLab tem buscado responder por meio de seus cursos. Além de agregar valor à carreira, saber se comunicar melhora a relação com as pessoas, abrindo possibilidades de progressão profissional. “Por isso que a FAE tem essa sensibilidade de complementar a formação profissional trazendo esse tipo de informação aos alunos e à comunidade”, afirma.

O segundo bloco do “Comunique-se” trará informações sobre mediação de conflitos, impasses e empatia. Os professores buscaram instrumentos do teatro para mostrar ao profissional que o “corpo fala”, e que isso pode fazer uma diferença enorme em seu “upgrade”. “Um dos fatores que está associado à dificuldade de comunicação é a timidez, a insegurança”, diz a professora. E o incentivo à leitura, então, é algo imprescindível para quem deseja falar e escrever de maneira objetiva, concisa e persuasiva. Sem falar na medida certa da comunicação. “Há pessoas que acreditam que falar muito significa se comunicar bem. Mas não é a quantidade de palavras que mede isso, e sim, a forma de se falar e o momento em que nos comunicamos. Para escrever, preciso saber qual o meu objetivo e organizar meu pensamento para ter clareza na comunicação”, avalia.

Persuasão, mediação de impasses e storytelling

Argumentar e mostrar seu ponto de vista de maneira tranquila são grandes desafios na sociedade. O curso “Comunique-se” também tem a proposta de auxiliar os profissionais a interagirem de maneira harmoniosa, mas com segurança e persuasão. Saber debater, argumentar e ter clareza na comunicação podem ser fatores decisivos para o sucesso nas relações interpessoais. “A partir do momento que eu expresso uma opinião baseada em argumentos sólidos é muito difícil a outra pessoa não entender”, observa a professora Areta. Outro desafio para os profissionais, segundo a professora, é falar de si mesmo. Relatar seus pontos fortes é difícil para a maioria das pessoas. Para auxiliar nisso, o storytelling também será tema do curso “Comunique-se”, buscando auxiliar quem tem dificuldades de expressar seus pontos fracos ou fortes.