Bem Estar Saúde

2021 em paz com a balança: Conheça o mindful eating e saiba como mudar sua relação com a comida

Especialista explica o método que trabalha o comer emocional e traz dicas para quem quer começar

Todo ano a alimentação ocupa um espaço na lista de metas para os próximos 365 dias. Seja perder ou ganhar peso, se alimentar melhor, com mais equilíbrio ou simplesmente comer menos besteira, a comida tem lugar de destaque nas preocupações quando o assunto é saúde. Infelizmente, muitas pessoas vivem em pé de guerra com a balança por anos a fio, numa relação complexa e desafiadora, que não ajuda a alcançar o objetivo estabelecido. Mas e se existisse uma alternativa para fazer as pazes com a alimentação? O mindful eating, prática de atenção plena voltada para sua relação com a comida, pode ser a solução.

Quem nunca testou dietas restritivas e/ou radicais, orientações que funcionaram para uma amiga (mas que não fizeram nada por você) em busca de uma alimentação melhor? Talvez, seja simplesmente uma questão de encontrar seu próprio equilíbrio. O mindful eating permite escolhas e experiências alimentares mais conscientes, o que é fundamental para a promoção da saúde. “É possível mudar sua relação consigo mesmo e com a sua alimentação, tornando-a mais saudável e prazerosa“, aponta Luiza Bittencourt, instrutora de Mindful Eating pelo Protocolo Eat For Life.

Dentre os benefícios da prática, temos: trabalhar o comer emocional (identificação de gatilhos emocionais e como lidar com eles, gerenciando melhor suas emoções), melhora na relação com seu corpo (fim de dietas restritivas e alimentos proibidos, além da redução do comer compulsivo), aumento da sensação de bem estar, melhora na digestão e absorção de nutrientes, bem como redução de estresse e ansiedade. Os benefícios são realmente muitos, tanto para saúde física quanto mental. Se você está cansada de brigar com a balança, a Luiza deixa três dicas para começar a praticar:

.
  1. Fazer o check in da sua fome antes, durante e depois da refeição. Não precisamos esperar para comer quando já estamos no nível 9 ou 10 de fome, por exemplo, porque pode-se comer até demais. Perceber o quanto está com fome em uma régua de 0 a 10 antes da refeição. Depois que começar a comer, faça outra análise no meio da refeição e se pergunte “de 0 a 10, o quanto estou de fome agora?” (muitas vezes, já estamos saciados na metade do prato). E, ao final, faça novamente a reflexão para verificar se está satisfeito e saciado, ou se ainda está com fome, além de checar também se exagerou. Assim, na próxima refeição, terá essa consciência de perceber sua fome.
  2. Repousar os talheres entre as mastigações. Isso ajuda a reduzir um pouco o ritmo, nos fazendo comer sem tanta pressa, além de ajudar também a digestão. Ajuda também a sentir melhor o gosto do alimento, o que é muito prazeroso.
  3. Estar presente no momento da refeição ou tirar (pelo menos) os primeiros minutinhos da refeição para simplesmente comer. Deixar celular, TV ou conversas de lado, apenas olhar para o seu prato percebendo aromas, formatos e cores dos alimentos. Se for possível até tocar, sentir a comida para provar, saboreando o gosto individual (e depois juntos) dos itens no prato.